Sobre mim

As memórias que trago comigo não passam de meras construções de quem ambiciono ser. Uma das minhas favoritas,e que me faz recuar no tempo e voltar a andar de mão dada com os meus pais, passa por ir comprar o jornal ao domingo de manhã. Olhando para trás, vejo que era reconfortante perceber que havia jornais sobre tudo e para todos. Sempre foi um hábito lê-los e questionar os meus pais o significado de algumas letras gordas que davam lugar às manchetes.

Foi assim que cresci. Desde nova que me comparam com a Mafalda da banda desenhada, tendo sido apelidada de “eterna insatisfeita” — alcunha com a qual me identifico. Assim, reconheço, que a minha palavra preferida, - a qual repito imenso - é o “porquê” seguida de um “?”.

Decidi seguir o ramo da comunicação. Frequentei a licenciatura em Ciências da Comunicação na Universidade do Minho, na qual participei no jornal ComUM, tendo desempenhado cargos na direção do mesmo. No último ano, o meu trabalho ‘Economia (não) mexe com ruas vazias’, publicado no ComUM, foi um dos finalistas dos prémios Obciber.

Embarquei de câmara ao pescoço para dar vida às histórias que queria contar, mas pareceu-me pouco. Por isso, e porque o ano de 2020 assim obrigou, apaixonei-me pelo desenvolvimento web que me levou à Especialização de Design de Interação, Web e Jogos na Universidade do Porto.

Com o sonho de aliar a fotografia e a programação ao jornalismo, tive a oportunidade de estagiar durante três meses na Rádio Renascença.